quinta-feira, 23 de novembro de 2017

No azul da noite



Alimento minha solidão e medo
como alimento meus gatos
De hora em hora
com as mãos cheias de grãos
cercados de amor





Adriane Lima




Arte by Alberto Tamburro 

Cores da dor



Quando a branca manhã vier
estarei debruçada 

em minha
negra solidão

Saberei acordar e
não arquear as costas
nesse peso solitário
de carregar nela
o medo do dia





Adriane Lima




Art by Thuc Tran 

Silêncio de um eco



Há muito me despi
do paraíso
rasguei véus
envoltos em lutas
que não sei nomear

Cansei de morrer
em combates
contra mim mesma






Adriane Lima





Art by Dino Valls
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...